Gestão Financeira na advocacia, por onde começar?

Atualizado: 24 de fev.


Toda empresa bem sucedida precisa de uma boa gestão financeira e na advocacia não é diferente pois o planejamento financeiro estratégico é a chave do sucesso para qualquer profissional ou empresa.


Muitos pecam por acreditar que o setor financeiro tem menos importância do que os demais quando ele deveria ser o primeiro setor planejado, controlado e acompanhado.


E por onde começar?

O primeiro passo é ter em mente que o escritório de advocacia é uma empresa e, o advogado, consequentemente, um empresário. Assimilado isso, deve-se ter uma lista de seus clientes, o que irá proporcionar um diagnóstico do escritório e a partir daí fazer um controle de datas de recebimentos de pagamentos, diminuindo assim, o risco de inadimplência e fazendo com que o seu fluxo de caixa não perca movimentação, garantindo uma forma estável para o escritório de advocacia, esse acompanhamento pode ser feito através de planilhas ou por um sistema de gestão financeira.


Atenção: Mudança de mentalidade é indispensável! Separe suas contas pessoais das contas da empresa, pois isso é primordial para não enfrentar problemas fiscais sendo imprescindível, fazer essa segregação das contas da empresa e do empresário.


Um erro comum que pode manter o empresário na pobreza é focar apenas nos ganhos e no aumento da renda, acreditando que para crescer é necessário ganhar rios de dinheiro e muitos, quando veem o faturamento crescer, aumentam rapidamente seus gastos e consequentemente acabam gastando até mesmo antes de ganhar o dinheiro de fato. Isso melhora o estilo de vida mas não a situação financeira, o que causa comprometimento na saúde da empresa. Monitore suas contas a pagar para que você saiba o quanto tem de despesa mensal fixa e variável, fazendo assim previsões e se preparando para os próximos meses.


A prevenção ainda é o melhor remédio!


Controle sua impulsividade, saiba que o faturamento não é lucro! É aí onde se encontra o perigo de não se planejar dentro da sua realidade. Não se pode subestimar os riscos, pois em situações muito favoráveis é comum esquecer de pensar na probabilidade de que ganhos que talvez não venham acontecer. Tendo um planejamento, é possível prever que existiram alguns meses em que a receita diminuirá de forma muito rápida. Sem esse controle é impossível manter um caixa saudável. É importante diminuir os gastos ou pelo menos mantê-los em equilíbrio, vivendo com menos e assim reduzindo a saída pela torneira dos gastos, para que assim a empresa consiga fazer sua reserva emergencial.


Essa é a importância de organizar as ações internas definindo prioridades e tendo em mãos os recursos necessários para saber qual caminho percorrer e atuar de maneira antecipada prevendo assim possíveis crises financeiras e evitando surpresas repentinas em tempos de dificuldades, se posicionando de maneira sustentável, gerando resultados superiores.


Seguindo o planejamento financeiro estabelecido previamente e a mudança comportamental bem institucionalizada, o escritório de advocacia terá totais condições de potencializar suas conquistas econômicas!


Já dizia Michael John Bobak: "Todo processo acontece fora da zona de conforto".

33 visualizações0 comentário